Published On: ter, mar 27th, 2018

Fronteira agrícola da Capital deve ter maior expansão em dois anos

Distrito de Anhanduí receber maior parte da plantação

Expansão da área plantada de soja no Município de Campo Grande é resultado da ampliação das fronteiras agrícolas dos municípios do entorno da Capital e a expectativa é de que a cultura passe por crescimento ainda maior nos próximos dois anos.

A avaliação é do superintendente do Agronegócio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedesc), João Luiz Auler Krabbe. Segundo o representante da prefeitura, a pasta acompanha e faz um trabalho de monitoramento da área que foi plantada e da produtividade das principais lavouras no município. O interesse é fomentar uma maior ocupação de uma área de grãos, tanto da soja como do milho.

“A tendência é de que haja uma expansão ainda maior, principalmente na região do Distrito de Anhanduí, que está crescendo muito, por ser divisa com dois municípios produtores, Sidrolândia e Nova Alvorada do Sul”.Ele destaca que a prefeitura criou um escritório na região, mantendo dois  técnicos no local, “pois acreditamos na expansão do agro naquela região e uma das culturas é o grão”. “Há a fruticultura, a mandioca, mas o [crescimento do] grão é natural”, comentou.

Ainda conforme Krabbe, “temos aqui a braquiária natural, o forte é a pastagem, mas está havendo uma expansão natural da fronteira agrícola do município e uma das condições básicas sempre foi a estrutura”.

“Com essa expansão, o município também tem que visualizar uma revitalização das suas pontes e a manutenção das estradas, e a prefeitura está buscando recursos para isso, tanto no ministério da Integração Nacional como no da Agricultura”, destacou.

Um dos projetos trata da substituição de 47 pontes de madeira por de concreto, enquanto o outro é para manutenção das estradas municipais e vicinais da Capital.

Fonte Correio Do Estado