Mostrando postagens com marcador Brasil. Mostrar todas as postagens

 Entre janeiro e junho deste ano, o número de ocorrências de estelionato virtual no Distrito Federal aumentou 347% em comparação ao mesmo período do ano passado. Devido ao crescimento acelerado destes casos – consequência, principalmente, do período de pandemia de Covid-19 – a Polícia Civil está produzindo e distribuindo virtualmente cartilhas de prevenção aos golpes (veja abaixo). A ideia é alertar a população e evitar que mais pessoas se tornem vítimas das quadrilhas cibernéticas.



Os casos mais frequentes envolvem o aplicativo de mensagens WhatsApp, amplamente utilizado no Brasil – fator que produz um grande número de vítimas, que não possuem um perfil específico, abrangendo pessoas de diversas idades e classes, moradores de diversas regiões administrativas. 


A pandemia, aliada à quarentena e ao fechamento do comércio nos primeiros meses, trouxe dois elementos que impulsionaram o aumento dos registros de golpes cometidos: o maior tempo de utilização da internet e o crescimento no número de transações de comércio on-line.

Os meses de abril e maio deste ano apresentaram um pico estatístico no número de casos de estelionato virtual: 624 e 708, respectivamente. Nos mesmos dois meses de 2019 foram registrados 170 e 179 casos.

“As cartilhas foram criadas para alertar as pessoas para estes crimes, que apresentam uma sequência fora da curva da normalidade”, explica o delegado-chefe da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), Giancarlo Zuliani.


Até o momento, a PCDF desenvolveu quatro cartilhas, que tratam dos golpes mais comuns: o do WhatsApp e um do leilão falso. Outra publicação, com informações sobre casos envolvendo sites de comércio on-line fraudulento, já está em produção e deve ser divulgada em breve.

A escolha da divulgação, por meio de WhatsApp e redes sociais, já rendeu bons frutos, como relata o delegado-chefe da DRCC: “As cartilhas já se espalharam tanto que pessoas de outros estados nos procuraram pedindo para registrar ocorrência aqui”, relata Giancarlo.

Prejuízo que gerou lição

Por se tratar de um aplicativo de conversas particulares, o WhatsApp é o alvo mais frequente dos crimes cibernéticos. Foi justamente devido a este caráter privado que o servidor público Henrique Ribeiro virou vítima de um golpe: um criminoso clonou o telefone de um amigo próximo, chamou-o pelo aplicativo e solicitou que Henrique lhe emprestasse a quantia de R$ 3,3 mil, sob a justificativa de que “estava tendo dificuldade para realizar um pagamento para uma pessoa”.

Passado o golpe, o amigo de Henrique entrou em contato com ele avisando da situação sobre seu número de telefone, mas já era tarde. “É o que a gente fala com as crianças: não confie em ninguém que você esteja conversando em jogo, mas no final das contas quem pagou o pato fui eu”, lamenta.

Ficou o prejuízo financeiro e uma lição permanente: “Perdi um pouco daquela espontaneidade, camaradagem. Agora tenho malícia, conversei com meus filhos em relação a isso. Tirei isso de lição pro resto da vida”.

Saiba mais sobre os principais golpes virtuais 

WhatsApp

Objetivo do golpe: transferência eletrônica/pagamento de boletos ou obtenção de informações sigilosas

Tipos de abordagem

√ Clonagem total do telefone da vítima, com habilitação da linha em outro chip

√ Transferência e clonagem do WhatsApp por meio de repasse do código de transferência do aplicativo

√ Utilização de foto e nome da vítima, porém em linha telefônica diferente da original

Como evitar

√ Verificação em duas etapas (saiba como ativar)

√ Desconfiar de conversas feitas por números não salvos em sua agenda

√ Não passar dados sigilosos por meio de conversa no WhatsApp

√ Caso precise fazer uma transferência, confirmar com o destinatário os dados por meio de outra plataforma, sem ser o WhatsApp, e checar as informações bancárias repassadas

Sites falsos

Objetivo do golpe: ludibriar pessoas por meio de ofertas ou leilões falsos

Tipos de abordagem

√ Criação de sites falsos com layouts idênticos aos originais

Como evitar

√ Em sua maioria, os sites falsos são hospedados em servidores estrangeiros, que possuem terminação “.com” ou “.com/br”

√ Checar em sites de reclamação on-line se existem protestos por serviços não prestados corretamente pelo endereço indicado

√ Utilizar sites de checagem (conhecidos como “who is”) para verificar a data de criação do endereço indicado. Em sua maioria, sites falsos são novos, criados recentemente

√ Para checar sites brasileiros, acesse este link

√ Para checar sites estrangeiros, acesse este link

Como denunciar golpes de WhatsApp ou sites falsos

Telefone: 197 ou 3207-4892

WhatsApp: (61) 98626-1197

Por e-mail - drcc-atendimento@pcdf.gov.br 

Para registrar ocorrência online - https://delegaciaeletronica.pcdf.df.gov.br/

Baixe as Cartilhas clicando nos links abaixo






O governo abriu mais um canal de comunicação para quem quiser contestar a análise do pedido de recebimento do auxílio emergencial de R$ 600, concedido para enfrentamento da crise financeira decorrente da pandemia do covid-19. Aqueles que tiveram o pedido negado podem contestar pelo site da Dataprev. 


Esse canal, no entanto, é indicado para casos específicos, referentes a atualização de dados cadastrais. Ele pode ser usado quando uma pessoa era menor de idade e completou 18 anos recentemente; para cidadãos que eram servidores públicos ou militares, mas perderam esse vínculo com o Estado; e para pessoas que perderam o emprego e não têm direito a auxílio-desemprego ou não recebem o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda. 

Nesses três casos não é possível fazer a contestação pelos canais da Caixa. Esse foi o motivo da Dataprev abrir o canal. Outros canais já disponíveis, mas para contestações de outras ordens, são o site da Caixa Econômica Federal, o aplicativo Caixa - Auxílio Emergencial e a solicitação via Defensoria Pública da União (DPU).

Basta o cidadão entrar no site da Dataprev, inserir informações pessoais como: nome completo, data de nascimento, nome da mãe e CPF. Após essa etapa, aparecerá o botão de “contestação” para fazer o novo pedido. 

Os processamentos e cruzamentos de dados seguirão a mesma lógica do programa. Após processamento da Dataprev, os dados são enviados para homologação (validação) dos resultados pelo Ministério da Cidadania – órgão gestor. E, por fim, são encaminhados à Caixa para pagamento. Nos casos de indeferimento, o cidadão poderá obter mais informações no portal de consultas. Essas informações explicarão porque o pedido foi negado e a legislação que embasa essa negativa. 

Mais de 108,9 milhões de cadastros já foram processados pela Caixa. Ao todo, mais de 66,9 milhões de pessoas receberam o Auxílio Emergencial do Governo Federal. Segundo dados de segunda-feira (3), da Caixa Econômica Federal, 438,5 mil estão em reanálise.

AGENCIA BRASIL 

Obrigatoriedade de compartilhamento de dados entre os órgãos competentes e medidas de prevenção ao coronavírus


Foto: Rogério Lopes.


Nesta terça-feira (2) foi promulgada a Lei 6.589 de maio de 2020, de autoria do deputado Delmasso (Republicanos-DF) que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública, decorrente da pandemia da Covid-19. As medidas objetivam a proteção da coletividade de forma a evitar a propagação do coronavírus.

Atualmente, o Distrito Federal possui 10.510 pessoas infectadas com a Covid-19, sendo 5.580 recuperadas e 171 óbitos. Buscando a segurança da população, o projeto trata do isolamento social, quarentena, exames médicos, testes laboratoriais, coleta de amostras clínicas, vacinação, tratamentos médicos específicos, estudo ou investigação epidemiológica, entre outras medidas.

“Todas as medidas de prevenção e enfrentamento são extremamente importantes. Nós, deputados e assessores da Câmara Legislativa temos trabalhado com todas as ferramentas e agindo o mais rápido possível para combater o coronavírus e socorrer a população neste momento de crise”, pondera Delmasso, autor da Lei.

A Lei também torna obrigatório o compartilhamento de dados que identificam as pessoas contaminadas, ou sob suspeita de infecção pelo coronavírus, entre órgãos e entidades da administração pública. A Lei determina ainda, que em casos dê transmissão comunitária, os viajantes de origem internacional deverão fazer um “juramento sanitário”, informando seu real estado de saúde e deverão permanecer em autoisolamento por 14 dias, ainda que não apresente nenhum sintoma.






Gustavo Amaral entra no lugar de Valmir Lemos. Ele é ex-administrador do Plano Piloto e ex-secretário da Diversidade Cultural do Ministério da Cidadania



Foto: José de Paula.


Em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal, Gustavo Amaral foi nomeado nessa sexta-feira (29/05), o DODF também trouxe a exoneração de Valmir Lemos de Oliveira da direção-geral adjunta do Departamento de Trânsito  do Distrito Federal. Em seu lugar, foi nomeado Gustavo Carvalho Amaral.


Ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal e delegado aposentado da Polícia Federal, Valmir Lemos chegou a assumir temporariamente a direção do órgão entre a saída de Alírio Neto e a chegada de Zélio Maia da Rocha, no início de março deste ano.

Gustavo Amaral atuou como professor de direito administrativo, Lei 8112/90 e Lei 8666/93. Aprovado em diversos concursos, atuou como agente público federal no quadro da administração indireta e, atualmente, exercia cargo público federal no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Gustavo também foi administrador Regional do Plano Piloto e Secretário Nacional de Diversidade Cultural do Ministério da Cidadania. Experiente, Gustavo Amaral também ministrou aulas em cursos preparatórios para concursos em Brasília, Palmas e Goiânia. Nas áreas administrativas, jurídicas e policiais.


Foto: José de Paula.


Boa sorte ao novo diretor-geral adjunto do Detran-DF.



Com à pandemia do novo coronavírus o Sicoob DFMil precisou reformular o processo e formato de realização assembleia de 2020 da cooperativa. Pela primeira vez, a Assembleia Geral Ordinária (AGO) será online. A transmissão acontecerá dia 20 de junho, em Brasília-DF


Foto: Marcos Paulo.


O evento que costuma recepcionar os associados de forma calorosa e com muito entusiasmo, agora divulgará os resultados do exercício de 2019 por meio dos aplicativos Moob e Zoom. O objetivo é manter a comunicação ativa com o associado e garantir a segurança de todos. 

Segundo o Presidente do Conselho de Administração do Sicoob DFMil, Sr. Sergio Roberto Cardoso da Cruz, a cooperativa dispõe de um suporte tecnológico completo para realizar a reunião. “Apesar da distância física, vamos poder ter contato com as pessoas usando a tecnologia a nosso favor. Essa inovação vai permitir estar próximos do nosso cooperado no sentido de prestar conta, mostrar com transparência aquilo que a cooperativa precisa apresentar e poder dar oportunidade do cooperado se manifestar”, conta. 

Na videoconferência será possível ainda a interação dos diretores com os associados e também a participação nas votações, que serão feitas por meio do aplicativo Moob. 

O Moob é o aplicativo do Sicoob que facilita e incentiva o contato entre o associado e sua cooperativa. Com ele, é possível transmitir reuniões ao vivo, ter acesso aos principais dados da instituição, receber e gerenciar convites para eventos, negociar bens publicados e muito mais.

Saiba mais sobre o App MOOB: https://bit.ly/3cdVYxg



Muitas pessoas que atuam no setor agrícola não compreendem exatamente o que é, como funciona e qual a importância do georreferenciamento de imóveis rurais. No entanto, o conceito é fundamental para o agronegócio e pode ser empregado para alavancar os resultados do empreendimento


Foto: Adriano Del Sarto.


Além disso, a sua relevância tem também outra explicação: a exigência legal, já que o procedimento é obrigatório. Ademais, diversos benefícios governamentais necessitam do georreferenciamento para serem liberados – como o acesso ao crédito rural.


O objetivo deste artigo é esclarecer todas as questões relativas ao georreferenciamento de imóveis rurais. Com as informações necessárias sobre o tema, os empreendedores do setor estarão mais capacitados para estar de acordo com a legislação, mas também a ter mais chances de fazer o seu negócio crescer.
O que é georreferenciamento de imóveis rurais?

A expressão georreferenciamento de imóveis rural combina o prefixo ‘geo”, que significa terra, e o substantivo derivado do verbo “referenciar”. Este tem como significado “tomar como ponto de referência, localizar”.

O conceito de georreferenciar remete, portanto, a situar um imóvel rural no globo terrestre. Ou seja, estabelecer um “endereço” para este na superfície da Terra – definindo não apenas sua localização, mas também sua forma e dimensão.

O procedimento permite determinar, portanto, a exata posição geográfica de um terreno e a sua área por meio de um mapeamento. Mais especificamente, o georreferenciamento de imóveis rurais é feito através de métodos de levantamento topográfico. O seu objetivo é evitar as sobreposições com dados de outras propriedades já auferidas.
Como funciona esse mapeamento

Para obter o mapeamento, é preciso descrever os limites, características e confrontações dele. Isso se faz através do memorial descritivo que deve conter as coordenadas dos vértices definidores dos limites dos terrenos – georreferenciadas ao Sistema Geodésico Brasileiro.

Ao longo do georreferenciamento de imóveis rurais, várias etapas vão sendo executadas. O processo começa com planejamento e, a seguir, se faz a demarcação e a medição do espaço.

A partir dos resultados desse trabalho, o profissional contratado para realizar o serviço deve relatar e certificar o processo. Todo a ação pode levar um tempo considerável, dependendo das dimensões da propriedade.
Quem está habilitado para realizar o trabalho

O georreferenciamento de uma propriedade deve ser realizado por profissionais com formação e capacidade técnica na área da topografia. Os Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (CREA) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) certificam os profissionais que podem executar esse trabalho.

Buscar por especialistas habilitados e credenciados para realizar a atividade é de extrema importância, caso contrário, o documento final não terá validade perante o governo.

Os profissionais que fazem esse tipo de trabalho devem estar cientes do nível de precisão exigido pelo INCRA. De acordo com a Portaria nº 932/02, o órgão estabeleceu que o erro máximo permitido para a determinação das coordenadas de cada vértice dos polígonos é de 50 cm.

O que diz a legislação e como se adequar
Além de determinar que o georreferenciamento de imóveis rurais seja realizado por profissionais certificados, há outras regras a respeito do tema que precisam ser consideradas. Com relação à obrigatoriedade do documento, nos últimos anos assistiu-se a algumas mudanças.

Antigamente, apenas as propriedades rurais com mais de 250 hectares eram obrigadas a fazer o procedimento. Contudo, em 2016, um decreto estabeleceu a necessidade do georreferenciamento para terrenos rurais com mais de 100 hectares.

Mais recentemente, porém, em 2018, através de um novo decreto, o governo federal passou a exigir que todas as propriedades, independentemente do seu tamanho, são obrigadas a ter esses números cadastros junto ao órgão responsável.

Por outro lado, a notícia boa é que, em 2019, foi sancionada uma lei que dispensa a carta de anuência no processo de georreferenciamento de imóveis rurais. A partir da decisão, passa a ser necessária apenas uma declaração do próprio requerente de respeito aos limites e confrontações.
Prazos para cumprir as novas regras

A nova legislação impõe novos prazos para cumprimento da norma. De acordo com ela, imóveis entre 100 e 250 hectares, assim como aqueles maiores, já devem estar cadastrados.

Já as propriedades que possuem entre 25 e 100 hectares têm até o dia 20/11/2023 para realizar o georreferenciamento. Os proprietários de espaços menores (ou seja, com menos do que 25 hectares), deverão se adequar até o dia 20/11/2025.

Qual a importância de aplicar o georreferenciamento
O georreferenciamento de imóveis rurais garante, portanto, a legalidade das propriedades e evita penalizações. A análise é utilizada para a concessão da Certidão de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR).

O documento é necessário para praticamente todos os procedimentos que envolvem o terreno da propriedade rural. Somente com ele, será possível solicitar qualquer benefício governamental ou partilhar o imóvel, em caso, por exemplo, de falecimento do proprietário.

No entanto, mais do que um “entrave burocrático”, o georreferenciamento pode trazer uma série de benefícios para negócio. Em primeiro lugar, conhecer as dimensões da área disponível melhora o aproveitamento do espaço, a mobilidade e a rastreabilidade no campo.


As informações precisas auferidas no processo também possibilitam um controle maior e mais eficiente da lavoura. Através da análise dos dados e do apoio de sistemas de monitoramento, o empreendedor conseguirá tomar decisões mais assertivas e ter uma gestão mais eficiente.



Proteção, fiscalização e conscientização na luta contra o coronavírus

Fotos: Luana Machado.


A Administração Regional do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) entregou mais de 2 mil máscaras de proteção à população nos meses de abril e maio. As equipes entregaram as máscaras aos comerciantes da Ceasa, moradores da Estrutural e no Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN). O DF Legal, Secretaria de Economia do DF, SEDES-DF, Secretaria de Justiça e Cidadania e a SEGOV-DF organizaram a ação.

O material é de uso obrigatório e o não cumprimento das normas pode acarretar em multa de 2 mil reais. Esta é uma ação do GDF, por meio da administração do SIA, que teve início no dia 15 de maio. Faz parte de várias ações realizadas desde abril com objetivo de auxiliar na proteção, fiscalização e conscientização sobre a atual pandemia do coronavírus.

O uso de máscaras de proteção se tornou uma medida importante no combate ao novo coronavírus, pois diminui as chances de contágio. No entanto, é preciso lembrar que elas não substituem o isolamento social, a higienização das mãos e outras orientações de prevenção.

A administradora do SIA, Luana Machado, afirmou que a ação ajuda a conscientizar as pessoas sobre a importância do uso da máscara. “Entregamos mais de 2.000 máscaras para a população. A operação realiza a fiscalização do comércio e aborda as pessoas nas ruas, particularmente em aglomerações, para a prevenção ao coronavírus no DF”, disse.


A ação contou com a participação da Administração da Estrutural, Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística do Distrito Federal (DF Legal), Departamento de Trânsito do Distrito Federal (DETRAN/DF), Polícia Militar do Distrito Federal (PM/DF) e Corpo de Bombeiros Militares (CBM/DF).



O Ministério da Saúde enviou a terceira equipe da Força Nacional do SUS (FN-SUS) composta por médicos, enfermeiros e fisioterapeutas para atuarem no combate ao COVID-19 no Estado do Amazonas. Mas o que poderia ser uma solução humanitária está se transformando num pesadelo para esses profissionais


Foto: Viviane Rezende.


Os profissionais de saúde, todos voluntários, chegaram a Manaus no último dia 5 oriundos de diversos estados brasileiros: Rio de Janeiro, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Bahia, Rio Grande do Norte, Pernambuco e o Distrito Federal.

Um vídeo disponibilizado na internet, prints de conversas do grupo e um desabafo de um profissional denunciam a humilhação que eles estão passando por estarem, voluntariamente, colaborando com a recuperação do país nessa pandemia.

“Nós enfermeiros, médicos, biomédicos, fisioterapeutas…estamos sendo bastante humilhados em Manaus. O poder das cooperativas de saúde que queriam abocanhar o dinheiro do governo federal para fazer a contratação direta de profissionais e encherem seus bolsos nos expulsaram dos hospitais alegando que não precisam de nosso trabalho. obs: uma dessas cooperativas têm o sec de saúde como sócio, segundo jornalistas locais.

Muitos estão a 30 dias tentando um lugar para trabalhar indo e voltando sem sucesso. Somos chamados pejorativamente aqui de: “os profissionais do Bolsonaro”.

Comunicamos o Ministério da Saúde e a Saúde local do estado e não tivemos retorno nem acolhimento por parte dos mesmos sobre este descaso conosco, nos enviaram o whatsapp do secretário de saúde que está por trás dessas cooperativas, ou seja, não de nada resolvido.

Ontem, nos tiraram de mais um hospital, o 28 de agosto. O que nos parece é que depois da fala de Bolsonaro contra o prefeito de Manaus a coisa piorou para nós”, (texto original e grifo nosso).

Segundo um dos vídeos, os profissionais estão confinados em um hotel de Manaus sem poder exercer o trabalho o qual se propuseram porque cooperativas ligadas ao governo estão impedindo que isso aconteça.

Levantam cedo, se preparam para o trabalho, chegam até a sair do hotel em direção ao Hospital Delphina Aziz (a unidade é referência no atendimento e tratamento de pacientes com COVID-19), mas ao chegarem lá são impedidos de trabalhar e, praticamente, expulsos do local.

Tentamos contato com a assessoria de imprensa da Agência Saúde, mas até o fechamento dessa matéria não conseguimos. O site está à disposição para os esclarecimentos necessário.

Prints das conversas:





Fonte: Blog do Poliglota.

No culto on-line desta terça-feira, 26, na Embaixada Sara Nossa Terra, em Brasília, o bispo Lucas Cunha ministrou com base no livro de Lamentações 3:55- 58

Foto: João Batista.

Diante da passagem, o preletor destacou sobre não ter medo. Desde modo, pregou que muitos indivíduos ainda relutam com Deus por meio de argumentos, reclamações ou exigências. “Por que Deus permite isto ou aquilo? Ele permite obstáculos para que você fique em uma situação mais maleável e acessível. Por que existem pessoas que acham que sabem de tudo e não aceitam serem tratadas? O Espírito Santo tem facilidade em conduzir pessoas quebrantadas que reconhecem que sem a presença Dele não são nada, ou seja, temos que reconhecer que o Pai está acima de tudo e que temos que combater pensamentos ilusórios que não são da vontade Dele”, assegurou.

Diante disto, o preletor alertou que é necessário que as pessoas renunciem o orgulho. “Muitas vezes, os indivíduos estão em crise. Jejuam, oram e não recebem respostas. Pensam que Deus as abandonou. Todavia, esta ausência de resposta não significa que o Pai não ouve o clamor delas. Posso citar o exemplo de Sansão, que dependia da força dele, e que não respeitava os princípios quando agia de forma ignorante. No entanto, quando ele contou o segredo para Dalila, os soldados filisteus capturaram ao homem que era intocável. Ou seja, o pecado dele o levou à fraqueza. Te faço uma pergunta: Deus permitiu isto? Sim, para que o coração dele voltasse para estar em sintonia”.

O preletor observou ainda que assim como Sansão, o homem precisa entender que sua força está no altar e que se faz necessário deixar para trás tudo o que te prende ao passado de pecado. Pois o compromisso de Deus com cada indivíduo é no futuro. “O Pai tem algo maravilhoso para você. Que a tua vida não seja escrava dos sentimentos ou que esteja no fundo do poço. De acordo com o que está escrito nos versículos citados, as pessoas se tornam manuseáveis nas mãos de Deus, onde as histórias delas serão mudadas. Deus julga os seus inimigos. Você será um grande homem de Deus e profissional”, finalizou.


Texto: estagiário Bruno Faria sob supervisão de Jeane Magalhães

Mãe de Jesus , ela sempre doou o filho à humanidade, o ofereceu para que todos seguissem seus ensinamentos e exemplos



O Mês Mariano, dedicado à Maria, está chegando ao fim e, para ainda celebrar, em entrevista especial, a Ir. Joana Puntel, religiosa paulina, jornalista e doutora em Ciência da Comunicação, falou sobre Maria, enquanto a maior comunicadora da Palavra de Deus, aquela que gerou e doou seu filho para servir e salvar a humanidade com Seus ensinamentos e exemplos. Confira:

Qual a sua experiência enquanto religiosa e comunicadora?

Ir. Joana Puntel: Eu respondi ao chamado de Jesus para me tornar religiosa em uma congregação que tem um carisma de evangelizar com a comunicação, não só usando os meios de comunicação, mas sendo comunicação também. Dentro deste carisma é muito importante que as pessoas se preparem para isso também. Então, nós vivemos e comunicamos Jesus, caminho, verdade e vida. Para isso, eu fui me preparando, fiz os votos e fui solicitada para fazer jornalismo. Fiquei 14 anos na Revista Família Cristã e procurei no jornalismo trabalhar muito em campo. Fui muitas vezes para o Amazonas, para o Nordeste, fazendo muitas reportagens. Isso foi dando a possibilidade de colocar em prática o talento que tenho de escrever. Mas, acontece que a comunicação vai se desenvolvendo e vai colocando exigências sempre maiores para nós. Então, isso me levou a fazer mestrado e depois doutorado no Canadá. Tudo isso foi contribuindo para uma coisa que sempre tenho muito orgulho em dizer e sempre com muita honestidade: contribuiu para que o Reino de Deus se espalhasse. Escrevi livros de orientação para aulas, me tornei docente e ajudei na formação de muitas pessoas.

Qual é a perspectiva que a espiritualidade paulina traz para Igreja de Maria como mulher no quesito comunicação, Maria como uma mulher comunicadora?

Ir. Joana: Maria ela esteve no cenáculo junto com os apóstolos, recebendo o Espírito Santo, e depois com a unção do Espírito Santo. Então, neste sentido de Rainha dos Apóstolos, ela estava ali como a mãe que gera, ajuda, fortifica, fortalece e ensina qual deve ser o caminho para Jesus. Quando contemplamos o caminho de Nossa Senhora como comunicadora, vemos que ela é aquela que dá Jesus ao mundo, mas veja bem, é uma Nossa Senhora que vem a partir do Evangelho. Em primeiro lugar, Maria deu seu “sim” para gerar Jesus, depois ela contemplou este filho que nascia. Já no presépio, ela O dá aos pastores. Se retomarmos a vida de Maria, segundo o Evangelho, percebemos que é um contínuo ato de doar Jesus, mostrá-lo, dar, ajudar a criar vida nas pessoas. Então, ela comunica aquele que dá a vida. Ela ajuda a gerar a vida. Ela é também participante do Mistério da Salvação. Hoje, a piedade popular, que é muito importante, invoca Nossa Senhora com muitos títulos, mas Nossa Senhora é sempre a mesma. Então, quando falamos Nossa Senhora Comunicadora, é aquela que em todos os seus títulos, dá Jesus, entrega o modelo dizendo: Sigam-O, que é desta forma! Então, ela vai dizendo para que todos sigam seu filho. Isso é muito bonito e significativo, pois é ela que nos leva a Jesus, ela que nos diz a forma correta para seguir a Jesus. Ela ensina! Em nossa vida diária, é Maria que nos acompanha. Dizemos: Maria, passa na frente! No fundo isso que dizer que ela abre caminhos para Jesus passar e nós alcançarmos a graça. Então, essa é Maria comunicadora. Ela ensina o caminho, em silencio e com humildade, sem ser protagonista, deixando que Jesus suscite a vida.

Estamos vivendo um tempo oportuno para descobrirmos com Maria a melhor forma de doar Jesus ao mundo por meio da comunicação, pelos meios de comunicação. Qual é a característica principal que Maria deixa aos comunicadores, aqueles que estão se dispondo a trabalhar neste momento de pandemia?

Ir. Joana: Me lembrei da passagem das Bodas de Caná. Não era uma situação tão difícil quanto a pandemia, mas era embaraçosa e sem saída. E quando Maria informa que o vinho acabou e Jesus diz que ainda não era Sua hora. Ela diz: “Fazei o que Ele vos disser”. Isso foi um ato de fé e de confiança, de alguém que acredita e não duvida. Então, não quer dizer que ela mandou em Jesus. Ali, mais uma vez ela estava mostrando Jesus, o poder de Jesus para todas aquelas pessoas. Ela diz para que todos O sigam. Então, se pensarmos isso nos dias de hoje, as situações são diferentes, mas Maria continuamente nos diz: “Façam tudo que Ele vos disser”. Onde vamos encontrar o que Ele disse? No Evangelho! São as atitudes de Jesus para o nosso exemplo. E isso é indicado por Maria. Para entender é preciso ter fé, confiança inabalável, e é preciso prestar atenção nos sinais do tempo. E os sinais desta pandemia são tristes, mas Deus está falando muito fortemente conosco. O que Ele está falando através da história? Maria comunica os valores por meio dos acontecimentos e diz: Sigam o meu filho! Isso é Maria, a comunicadora!


Fonte: Afipe



A gestão de pessoas é, atualmente, considerada um componente fundamental na administração de todos os tipos de empresa. Empreendimentos de todos os setores e ramos, sejam de pequeno ou grande porte, desfrutam dos benefícios de investir na área de recursos humanos


Foto: Caio Filho.

Isso também vale para os negócios rurais: por isso, neste artigo vamos falar sobre gestão de pessoas no agronegócio.



É fato que a profissionalização no gerenciamento das “empresas do campo” vem trazendo mais produtividade e eficiência ao setor. Esse processo passa, por exemplo, pela utilização de recursos tecnológicos tanto na produção quanto na gestão da empresa e também pela capacitação da mão de obra.


A evolução dos produtores rurais com competência para empreender também está relacionada ao desenvolvimento de pessoas – hoje considerado chave para todos os mercados. Por isso, o investimento em capital humano já é uma prática comum em quase todas as empresas.

Sendo assim, a gestão de pessoas no agronegócio merece uma atenção especial. Isso porque o setor ainda está evoluindo nesse sentido e porque possui características que resultam em desafios específicos a serem superados.
O que é gestão de pessoas

A gestão de pessoas também é conhecida como administração de recursos humanos. O objetivo dessa área, em linhas gerais, é trabalhar com eficiência utilizando os recursos humanos disponíveis e conseguir criar, manter e desenvolver pessoas com habilidade e motivação para realizar os objetivos da empresa.

Além disso, também faz parte do seu escopo administrar o comportamento dos colaboradores e desenvolver condições de bem-estar, satisfação e alcance de objetivos individuais. Cada empreendimento pode definir quais são os objetivos específicos da área e determinar quais estratégias e metodologias específicas irá utilizar para alcançá-los.

Por essa razão, resumidamente, a gestão de pessoas é considerada um conjunto de práticas para o desenvolvimento do capital humano nas empresas. Essas técnicas estão relacionadas à motivação, retenção e capacitação dos colaboradores sempre com o intuito de melhorar o seu desempenho – e, consequentemente, melhorar a performance do negócio.
Quais são as principais atribuições e pilares da área

A gestão de pessoas procura engajar e estimular o comprometimento e o progresso da equipe. Além disso, ela também é fundamental para a formação de lideranças para uma empresa – considerada uma das grandes dificuldades do mundo corporativo.

As atribuições da área envolvem uma série de ações voltadas a aumentar o bem-estar do colaborador e melhorar o ambiente de trabalho. Para ser eficaz, a metodologia deve levar em consideração cinco pilares: motivação; comunicação; trabalho em equipe; conhecimento e competência; treinamento e desenvolvimento.

Também são atividades desempenhadas pela gestão de pessoas a contratação de novos funcionários, a avaliação de desempenho, a capacitação, a realocação e as promoções dos colaboradores. A gestão de crises envolvendo equipes também faz parte do leque de atribuições da área.
Desafios da gestão de pessoas no agronegócio

Apesar do crescimento observado nos últimos anos, o setor agropecuário brasileiro sofreu – e ainda sofre – as consequências do êxodo da população rural para os grandes centros urbanos. Da mesma forma, fatores como a falta de gerenciamento em negócios familiares e o despreparo em relação à chegada da tecnologia também não contam a favor dos empreendimentos rurais.

Nesse contexto, além de ver os seus funcionários deixando o campo para trabalhar na cidade por diversos motivos, muitos produtores também não sabem como administrar e valorizar as pessoas com quem trabalham. Isso trouxe uma rotatividade profissional muito grande para esses empreendimentos. Ao mesmo tempo, resultou na escassez de mão de obra qualificada no agro.

Esse panorama é importante para entender os desafios e a importância da gestão de pessoas no agronegócio para mudar essa situação. Dessa forma, o setor poderá continuar crescendo para alcançar patamares cada vez mais altos. Lembrando que, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação (FAO), para garantir o equilíbrio da segurança alimentar mundial a produção de alimentos precisa aumentar em 60% até 2050.
Por que a gestão de pessoas no agronegócio é importante

É verdade que a tecnologia trouxe muitos recursos de automação para o processo produtivo nas fazendas. No entanto, as pessoas continuam sendo parte crucial do “funcionamento” desses empreendimentos.

Por um lado, as máquinas agrícolas realizam um trabalho eficiente, mas a participação humana segue sendo imprescindível para operá-las e realizar várias outras atividades envolvidas da produção. Por outro, profissionais com conhecimento e competência também são necessários para saber manejar cultivos com eficiência e responsabilidade no uso de recursos naturais.

É por isso que os funcionários precisam ser considerados ativos das empresas também no agro. Um negócio só pode alcançar o seu máximo potencial com mão de obra de qualidade. Isso significa ter pessoas competentes, preparadas e geridas com excelência – evidentemente, por uma boa gestão de pessoas no agronegócio.
Impactos positivos para as empresas rurais

O investimento na gestão de pessoas no agronegócio traz uma série de benefícios para os empreendimentos e, consequentemente, para o setor em geral.

A instauração de técnicas específicas permite, por exemplo, que o gestor reconheça e gerencie as competências dos trabalhadores. Entender se o seu funcionário consegue identificar problemas e propor soluções com eficácia possibilita que ele seja colocado em uma função estratégica para a empresa rural.



Além disso, a administração de recursos humanos também conta com valiosos métodos de avaliação de desempenho e análise de resultados. Essas informações, cruzadas com dados de performance e produtividade do negócio, ajudam a esclarecer pontos que necessitam melhorias e a tomar decisões assertivas na gestão.

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem o primeiro projeto de lei de autoria do deputado federal Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF)


Foto: Anderson Miranda.

O PL 1251/20 garante a liberação de recursos do Fundo Setorial de Audiovisual (FSA) e do Fundo Nacional de Cultura (FNC) para pagamento dos cachês atrasados, das datas suspensas ou adiadas e a implementação imediata de programa de assistência financeira com renda mínima para os trabalhadores na área da cultura e aos trabalhadores informais. O texto foi apensado ao PL 1075/20 que também trata de ações emergenciais para socorrer o setor durante a pandemia do novo coronavírus.

Julio Cesar defende que a junção de esforços foi essencial neste momento e justifica que o setor é um dos mais prejudicados com a chegada da crise. “Estou muito feliz com a aprovação deste projeto. Não podemos fechar os olhos para um dos setores mais afetados pela crise, até porque o nosso país é reconhecido mundialmente pela sua diversidade cultural. Além do mais, essa proposta reconhece e valoriza os trabalhadores envolvidos com o fomento da cultura brasileira”, declara.

A proposta construída em conjunto com os deputados federais republicanos, Aline Gurgel (AP) e Celso Russomanno (SP), foi acatada na íntegra pela deputada e relatora Jandira Feghali (PcdoB/RJ).

Linha de crédito

Além do aporte financeiro, o texto prevê ainda a abertura de linha de crédito para aquisição de equipamentos culturais ou renegociação de crédito, com maior tempo de carência, através de recursos liberados pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a suspensão de cobranças de impostos para espaços culturais, cobranças e taxas sobre MEIs e ME da área cultural e acesso aos benefícios do INSS. Os beneficiários deverão ser identificados por meio do cadastro de sindicatos, dados oficiais e a comprovação do trabalho informal na cultura. A matéria segue para o Senado.

O presidente Rafael Prudente firmou um compromisso com os colegas de não publicar a redação final da Resolução nº 40 até que os parlamentares possam reexaminar o texto


Foto: Silvio Abdon.

A Câmara Legislativa votou contra a inclusão de ex-deputados distritais no plano de saúde dos parlamentares e dos servidores efetivos ou comissionados – o Fascal. Com a decisão, tomada pela unanimidade dos presentes na sessão remota desta terça-feira (26), serão retiradas da redação final da Resolução nº 40, aprovada no dia 20 passado e alvo de vários questionamentos, as emendas de números 4 e 5. Antes de a matéria ter sido novamente apreciada, hoje, deputados pediram que a votação da referida proposição fosse anulada. O encaminhamento da mesa diretora dos trabalhos, porém, foi pela exclusão das duas emendas.

A primeira permitia que os ex-deputados e seus dependentes pudessem fazer parte do Fundo de Assistência à Saúde da CLDF. Já a emenda nº 5 retirava a limitação de permanência para ex-servidores e dependentes, beneficiários do plano como optantes, desde que diagnosticados com doenças pré-existentes. O prazo máximo estabelecido para os demais inscritos também na condição de optantes é de 24 meses.

Compromisso – Ao proclamar a deliberação contrária às duas emendas, o presidente da CLDF, deputado Rafael Prudente (MDB), firmou um compromisso com os colegas de não publicar a redação final da Resolução nº 40, no Diário da Câmara Legislativa, até que os parlamentares possam reexaminar o texto e, se for o caso, apresentar sugestões que poderão ser votadas com o objetivo de aperfeiçoar a matéria que regulamenta o funcionamento e a estrutura do Fascal.


O parlamentar também fez referências à entrevista coletiva da Mesa Diretora da CLDF, na última sexta-feira (22), na qual foi anunciado que seriam revistas as duas alterações ao texto original da matéria. "Avisamos, na ocasião, a todo o Distrito Federal sobre a decisão de excluir os itens que estavam sendo objeto de questionamentos. Agora, foi feita a correção e teremos tempo para fazer toda a avaliação e, se for necessário, trazer um novo texto à apreciação do plenário", declarou.



Biólogo da Vigilância Ambiental em Saúde dá dicas de como evitar a ação do inseto


Foto: Breno Esaki.

Todos os anos escorpiões costumam surgir nas áreas urbanas do Distrito Federal, o que aumenta significativamente a quantidade de acidentes relacionados ao veneno do inseto. Para evitar esse tipo de problema, tanto dentro de casa e quanto em quintais e demais áreas ao ar livre, é necessário adotar alguns cuidados, principalmente a higiene adequada.

“Os escorpiões gostam de se esconder em materiais de construção, caixas de esgoto, entulho, frestas e buracos em paredes, além de caixas de fiação elétrica, de telefone e tomadas abertas. Para evitar o surgimento deles é importante colocar telas de proteção nas janelas, ralos, aqueles rodinhos de vedação nas portas”, explica o biólogo da Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival) Israel Martins.

“É um animal muito ativo durante a noite. Muitas vezes podem chegar aos apartamentos dos últimos andares, já que usam as tubulações para isso”Israel Martins, biólogo da Dival

Ele alerta que também é necessário redobrar os cuidados para evitar o aparecimento de baratas, pois elas são a fonte de alimento dos escorpiões. Ou seja, a presença de baratas significa ameaça de escorpiões em busca de alimento.

“É importante manter os ambientes limpos. Limpar a caixa de gordura, evitar deixar migalhas espalhadas pela casa e ter cuidado com o lixo, pois tudo isso atrai as baratas, que consequentemente podem atrair os escorpiões. Por isso, eliminar as baratas reduz muito o risco de aparecimento desses animais peçonhentos”, acrescenta.

O biólogo esclarece ainda que o surgimento de escorpiões em apartamentos é comum porque eles podem se abrigar em redes de instalações elétricas e telefônicas. Nesse sentido, tomadas e luminárias mal encaixadas representam possíveis canais de entrada desses insetos nos imóveis. “É um animal muito ativo durante a noite. Muitas vezes podem chegar aos apartamentos dos últimos andares, já que usam as tubulações para isso.”

Crianças
O cuidado deve ser redobrado em locais que têm crianças ou animais de estimação, tendo em vista que o efeito do veneno após a picada de escorpião pode ser mais forte em vítimas com menos peso. “O escorpião não sai de seu abrigo para picar ninguém. Geralmente os acidentes acontecem porque alguém pisou, colocou a mão em um lugar e o esmagou. Por isso é importante verificar lençóis, roupas de cama e toalhas antes de usar. Além de afastar as camas das paredes”, continua Israel.

Segundo o biólogo, sempre que aparecer um escorpião em casa é necessário acionar a Vigilância Ambiental em Saúde, por meio do telefone 160. Equipes vão ao local de chamada para descobrir as condições que favorecem o aparecimento e o abrigo do animal peçonhento.

O biólogo também alerta que não existe inseticida comprovadamente eficaz para combater escorpiões. A melhor maneira é prevenir o aparecimento, com limpeza correta de todas as áreas da residências e colocação de barreiras de proteção nos possíveis locais de entrada dos escorpiões.

Vigilância
A Diretoria de Vigilância Ambiental monitora a distribuição temporal e espacial da população de escorpiões e de acidentes, além de promover, em todo o Distrito Federal, ações de prevenção e controle do aracnídeo. O atendimento à população é feito por demanda passiva, ou seja, a população aciona o serviço de saúde (telefones: 2017-1343 ou 160) para que as providências sejam tomadas. A Dival acrescenta que se compromete a verificar o local nos dias conseguintes à primeira visita.

O Centro de Informações Toxicológicas dá as primeiras orientações nos casos de acidente com animais peçonhentos. O telefone é o 0800 644-6774.

Números
De janeiro a abril foram registrados 601 acidentes envolvendo escorpiões no Distrito Federal. Até 21 de maio foram solicitadas 451 inspeções, que resultaram em 307 animais capturados.

Todo paciente que sofrer um acidente por animal peçonhento deve procurar a emergência dos hospitais do DF ou de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) – unidades que possuem atendimento de clínica médica estão aptos para receber esse tipo de paciente.







A partir desta semana, a análise e aprovação de projetos de incêndio e arquitetura realizadas pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) passa a ser integralmente digital


Imagem: Pedro Paulo.

A mudança vinha sendo implementada, com parte da documentação sendo enviada digitalmente. A antecipação do processo final ocorreu a fim de evitar aglomerações nos setores que recebiam os documentos impressos por conta do atual cenário pandêmico.


“A implementação do processo vinha sendo feito de forma gradativa, há cerca de dois anos. Antes disso, todo o processo era feito com a entrega da documentação de forma impressa, inclusive os projetos”, explicou o chefe da Seção de Análise de Projetos do CBMDF, o tenente-coronel Luiz Santana.

Os projetos contra incêndio e pânico prevê a instalação de hidrantes, chuveiros automáticos, detecção de Incêndio, para–raios, sistema de extintores e, ainda, sinalização, iluminação e saída de emergência.

Além de facilitar o processo interno da corporação, o novo modelo gera economia para o usuário, que não terá que se deslocar até a seção de projetos, localizada na Unidade do Cruzeiro, e nem fazer impressões, pois no caso de reprovação era necessário fazer uma nova impressão de toda a documentação com os ajustes.

“Com a aprovação do projeto, o solicitante receberá um QR Code que somente poderá ser lido exclusivamente pelo aplicativo desenvolvido pela corporação. Desta forma, além da segurança de dados, todos os documentos poderão ser acessados a qualquer tempo, sem o perigo de serem perdidos e sem correr risco de ter que ser iniciado novamente”, explicou Santana.

O novo formato facilita também a vistoria para emissão do Habite-se e Licença de Funcionamento, documento necessário para funcionamento de qualquer atividade, seja com público ou não. O bombeiro responsável pela fiscalização não precisará mais levar até a edificação os projetos impressos, mas apenas um tablete da corporação ou mesmo pelo celular, como afirma o tenente-coronel. “Após a aprovação da vistoria, o próximo passo é a liberação do Habite-se, essencial para que o local seja habitado, e na sequência a liberação do funcionamento. Todos esses pontos terão mais celeridade, pois toda a documentação poderá ser acessada online”.


Para facilitar a uniformização dos serviços, o CBMDF disponibilizou um tutorial com o formato para o envio da documentação, que poderá ser conferido neste link.


Lançada no primeiro sábado de fevereiro, a promoção Poupança Premiada Sicoob distribuirá mais de R$ 3 milhões em prêmios para os seus poupadores

Durante a promoção serão 49 sorteios semanais, 11 sorteios mensais e mais quatro sorteios especiais. Os números da sorte são gerados por PF e CNPJ, seguindo a Loteria Federal. Os interessados podem acessar o regulamento da promoção em www.sicoob.com.br/poupancapremiada. No site também é possível conferir os números da sorte, que serão disponibilizados a partir de 25/02/2020.

Mote - Com o mote “Poupar com o porquinho do Sicoob dá sorte e pode dar um montão de prêmios”, o objetivo do Sicoob é incentivar seus cooperados a investirem na poupança. A promoção também segue a linha da campanha Somos Feitos de Valores, que destaca os valores do Sicoob e os benefícios do cooperativismo de crédito. Além de participar dos resultados, ajudar no desenvolvimento regional e economizar com tarifas até 50% mais baratas, os cooperados do Sistema ainda concorrem a prêmios.

Incremento - Para participar da promoção, o cooperado precisa fazer um incremento de R$200 na poupança. A cada novo depósito com o valor, o associado recebe um número da sorte. Vale lembrar que se o valor for retirado da poupança, o número da sorte é automaticamente cancelado.

Sobre o Sicoob - O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,6 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 420 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quinta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3,1 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras. Mais informações acesse: www.sicoob.com.br. (Imprensa Sicoob)

O Sicoob DF MIL está localizado na C1 Lote 09/10 Loja 04 - Taguatinga Centro - Brasília/DF (Ao lado da agência dos Correios).

Telefones fixos: (61) 3223-0953 | (61) 3344-8707 | (61) 3971-0245

Telefones celulares: (61) 99644-5683 | (61) 99606-0386

E-mail: dfmil@sicoobdfmil.coop.br 



Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo 61 98225-4660 Sugestão de pauta: cidadesecondominios@gmail.com #Cidades #Condomínio #PauloMeloJornalista #CidadeseCondomínios

A ministra do Orçamento da França,  Valérie Pécresse, disse neste domingo (27) que os governos francês, alemão e italiano examinam a hipótese de elaborar uma proposta de um novo pacto entre os 17 integrantes da zona do euro. A ideia é aprovar a possibilidade de adotar sanções para pressionar os países a executar medidas de disciplina fiscal.


"[Não será] um pacto para três, mas sim para todos os membros da aliança da zona euro com o objetivo de criar uma nova governança, com verdadeiras regras, regulação e sanções que deem realmente confiança", disse a ministra.


Nos bastidores, há informações de que a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, consideram a implementação de um novo pacto de estabilidade limitado a alguns países na zona do euro. No próximo dia 9 ocorrerá a Cúpula da União Europeia cujo tema principal são os impactos da crise econômica internacional.

"Alemanha, França e Itália querem ser o motor de uma Europa muito mais integrada, mais forte e com verdadeiros mecanismos de regulação de modo a não permitir que possa haver alguém que fique isento das regras estabelecidas por nós", disse Pécresse.


A ministra do Orçamento também disse que não haverá novo plano de austeridade na França, após os dois primeiros pacotes já anunciados. Neles, o objetivo era reduzir o déficit e a dívida do país.



"Ninguém duvida da capacidade da França para saldar sua dívida", disse a ministra.

CLIQUE AQUI E VEJA MINHA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.